Notícias

Principais Tipos

Hepatite A
É uma doença contagiosa, causada pelo vírus A. Sua transmissão é fecal-oral, ocorre por meio do contato entre indivíduos ou água ou alimentos contaminados. Sintomas mais frequentes: cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Quando surgem, costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção. O diagnóstico da doença é realizado por exame de sangue, no qual se procura por anticorpos anti-HAV. A doença é totalmente curável quando o paciente segue corretamente as recomendações médicas.

Hepatite B
O vírus B encontra-se presente no sangue, no esperma e no leite materno. A doença  pode ser transmitida por meio de relações sexuais sem preservativo  com uma pessoa infectada, de mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou  amamentação, no compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou instrumentos utilizados para tatuagem e colocação de piercings, e ainda por transfusão de sangue contaminado. A maioria dos casos de hepatite B não apresenta sintomas. Quando há sinais, estes são semelhantes aos da hepatite A, e costumam aparecer de um a seis meses após a infecção. A hepatite B pode se apresentar de forma aguda (curta duração) ou crônica (mais de seis meses). O risco de a doença tornar-se crônica depende da idade na qual ocorre a infecção. As crianças são as mais afetadas. Naquelas com menos de um ano, esse risco chega a 90%; entre 1 e 5 anos, varia entre 20% e 50%. Em adultos, o índice cai para 5% a 10%. O diagnóstico da hepatite B é feito por meio de exame de sangue específico. O tratamento será determinado a partir do quadro clínico do paciente.

Hepatite C
A doença é causada pelo vírus C (VHC). Seu mecanismo de transmissão é o mesmo do vírus B. Em geral a infecção é assintomática, porém quando surgem sintomas, estes são os mesmos da hepatite A e B.  O tratamento é complexo e determinado a partir de biópsia hepática e exames de biologia molecular. As chances de cura variam de 50 a 80% dos casos.

É possível prevenir
O Sistema Único de Saúde disponibiliza gratuitamente vacina contra a hepatite B. Quem pode receber a vacina: pessoas com até 29 anos,  além de gestantes, trabalhadores da saúde, bombeiros, policiais, manicures, populações indígenas, doadores de sangue, gays, lésbicas, travestis e transexuais, profissionais do sexo, usuários de drogas, portadores de DST. A imunização só é efetiva quando se toma as três doses, com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose. Atenção: Não existe vacina contra a hepatite C, mas a doença pode ser evitada com medidas simples: não compartilhe seringa, agulha e objetos cortantes com outras pessoas e use camisinha em todas as relações sexuais.
 
Para obter informações sobre locais para testagem e vacinaçãoligue para: Disque DST/Aids 0800 16 25 50

Pesquisa