Notícias

Noites mal dormidas prejudicam a qualidade de vida e podem, inclusive, estar associada a morte prematura. É o que indica estudo realizado pela psiquiatra Ana Ramos, da universidade de Wisconsin, nos EUA. A pesquisa, que envolveu duas mil pessoas, constatou que entre os insones, a mortalidade foi três vezes superior as que tinham sono normal.

É denominada insônia a dificuldade em conseguir iniciar o sono, acordar várias vezes durante a noite ou apresentar um sono não reparador. Trata-se de um problema que afeta mais de 50% das pessoas em alguma altura da sua vida, em especial a partir dos 50 anos. Suas causas são diversas: trabalho em turnos, viagens regulares com alteração de fusos horários, ansiedade e a depressão, ou presença de doenças respiratórias, como a apneia do sono - comum em pessoas com excesso de peso. Na apneia, deixa de respirar durante o sono por um período mínimo de cinco segundos, múltiplas vezes durante a noite, o que conduz a um sono não reparador e excessiva sonolência diurna.

Além da redução da expectativa de vida, a insônia pode gerar:

  • Ansiedade: A pessoa com dificuldade em dormir, acorda mais cansada e nervosa e passa o dia ansiosa com medo da próxima noite, provocando o chamado efeito bola de neve que perpetua a insônia.
  • Depressão: A insônia pode ser o primeiro sintoma de uma doença depressiva, e exige atenção médica; por outro lado a pessoa que sofre de insônia durante um período longo de tempo, acaba desenvolvendo alterações do humor.
  • Diabetes: Dormir 7 a 8 horas por noite ajuda o organismo a queimar hidratos de carbono, reduzir os níveis de açúcar no sangue e impedir que armazene demasiadas calorias, evitando assim o surgimento precoce da diabetes.
  • Envelhecimento: O sono interrompido e superficial gera queda nas taxas do hormônio GH, cuja deficiência está associada a aumento do tecido adiposo, flacidez muscular, fraqueza óssea e perda de massa muscular. Em crianças e adolescentes pode afetar o processo natural de crescimento.
  • Obesidade: Durante o período de sono, ocorre a síntese de diversos hormonas relacionados com regulação calórica. Quem dorme pouco tem mais probabilidade de engodar.
  • Problemas de Pele e Capilares: A insônia pode gerar olheiras, além de enfraquecimento e queda de cabelos.
  • Infecções e Alergias: As pessoas que dormem mal têm maior predisposição para alergias e infecções. Noites mal dormidas prejudicam o sistema imunológico deixando a pessoa mais suscetível a várias doenças.

Se você estiver com dificuldade para pegar no sono, procure ajuda médica. Sua saúde agradece!

Pesquisa