Notícias

Mau hálito é a liberação de odores desagradáveis pela boca ou mesmo pela respiração. A halitose não é uma doença, mas pode mostrar que há algo de errado no organismo.

Há mais de 60 fatores capazes de produzir mau hálito. Em mais de 90% dos casos, a origem se dá na cavidade bucal - acompanhada ou não de alterações sistêmicas como diabetes, distúrbios renais e prisão de ventre, por exemplo.

A halitose crônica geralmente é causada pela doença periodontal, resultado da má higienização bucal. A falta de higiene bucal pode acumular placas bacterianas nos dentes e amígdalas e também nas gengivas, causando sangramento, gengivite e periodontite.

A língua também deve ter a nossa atenção na hora da limpeza bucal e deve ser sempre escovada após as refeições. A saburra lingual, material branco ou amarelado no dorso posterior da língua, é uma massa bacteriana e pode produzir um odor ruim.

 

Entre outras causas da halitose, estão a TPM e a prisão de ventre. A tensão emocional causada no período pré-menstrual pode provocar diminuição da salivação e aumentar a saburra lingual, e consequente mau hálito.

A halitose, quando não cuidada pode tornar-se um problema desagradável, que dificulta as relações pessoais profissionais, sociais e afetivas.

Como prevenir o mau hálito

- Realizar pequenas refeições a cada três horas: jejum prolongado pode comprometer seu hálito

- Evitar alimentos que contribuam para o ressecamento bucal (muito salgados, quentes ou condimentados)

- Ter uma dieta balanceada, incluindo uso de alimentos duros e fibrosos; evitar álcool e fumo em excesso

- Realizar adequada higiene bucal (incluindo limpeza da língua), o uso de fio dental e evitando o uso de soluções para bochecho com álcool na composição

- Ingerir bastante líquido, de preferência água (média de 2 litros/dia)

- Visitar o dentista semestralmente, prevenindo assim problemas dentários e gengivais (tártaro, sangramentos)

Pesquisa