Notícias

Com o primeiro caso do novo coronavírus confirmado no Brasil, as redes sociais já acumulam dicas e dúvidas sobre como se proteger da infecção, mas é importante ressaltar que não há necessidade de pânico.

A taxa de letalidade do vírus é entre 2% e 3%, e ele é menos grave que o H1N1, segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Os principais atingidos até agora são pessoas com mais de 60 anos que têm doenças associadas.

As principais recomendações para se proteger incluem bons hábitos de higiente, como lavar bem as mãos e cobrir tosse e espirro. A OMS (Organização Mundial da Saúde) aconselha o uso racional de máscaras descartáveis para evitar desperdício, ou seja, usá-las apenas em caso de sintomas respiratórios, suspeita de infecção por coronavírus ou em caso de profissionais que estejam cuidando de casos de suspeita.

Arte: Agência Brasil/ABr

Veja como se proteger:

​QUAL O MELHOR MÉTODO PARA EVITAR O CORONAVÍRUS?
Como toda gripe, lavar as mãos com frequência, cobrir boca e nariz ao tossir/espirrar e manter distância de ao menos dois metros de pessoas que estejam tossindo ou espirrando. Evite tocar olhos, nariz e boca.

DEVO USAR MÁSCARA?
Se você não tiver nenhum sintoma, não. A OMS recomenda o uso apenas por pessoas com sintomas, para que evitem a transmissão, em combinação com outras medidas de higiene. A exceção são pessoas cuidando diretamente de doentes.

DEVO EVITAR VIAJAR?
Não necessariamente. Mas locais com índice de contaminação mais alto comprovado, que estão na lista do Ministério da Saúde, exigem atenção redobrada às medidas de higiene e aglomerações de pessoas. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, também pediu bom senso.

HÁ VACINA CONTRA O CORONAVÍRUS?
A vacina ainda não foi desenvolvida. Por isso, a forma mais eficaz de se proteger é manter bons hábitos de higiene.

DEVO EVITAR AGLOMERAÇÕES?
Aglomerações ajudam na disseminação do vírus, mas, tomados os cuidados básicos, elas só precisam ser evitadas em uma áreas de alta incidência (o que não existe por ora no Brasil).

FIZ UMA ENCOMENDA INTERNACIONAL. CANCELO?
O vírus não sobrevive mais do que poucas horas em superfícies de objeto, e esse tempo diminui com as variações constantes de temperatura. Na dúvida, limpe a superfície com álcool.

TENHO SINTOMAS DE GRIPE (TOSSE, ESPIRRO, FEBRE). O QUE FAÇO?
Quem não teve contato com um possível transmissor não deve temer. Se há um histórico de ligação com região contaminada ou com pessoa vinda dessa região, o paciente com sintomas deve procurar um hospital para fazer o exame PCR, cujo resultado é imediato. Os médicos orientarão sobre os passos seguintes. Não há teste caseiro.

O PACIENTE COM CONFIRMAÇÃO DE CORONAVÍRUS FOI PARA CASA. ELE ESTÁ DISSEMINANDO O VÍRUS?
Ele está em isolamento domiciliar e pessoas que tiveram contato com o paciente são monitoradas. O vírus pode ser transmitido por pacientes sintomáticos durante um período de 14 dias. Não há dados conclusivos a respeito de risco de transmissão por doentes assintomáticos.

CHÁ QUENTE COMBATE O VÍRUS?
Não.

E VITAMINAS?
Não.

E ANTIBIÓTICO?
Não.

E HOMEOPATIA?
Não.

BEBIDAS PODEM AJUDAR A PREVENIR O VÍRUS?
Não, mas, em caso de infecção, a hidratação é importante.

RECEBI UMA MENSAGEM SUGERINDO CUIDADOS. COMO SEI SE ELA ESTÁ CORRETA?
Vale atenção mesmo para mensagens que tenham fontes supostamente críveis —um hospital conhecido, a OMS, um veículo de comunicação reconhecido, o Ministério da Saúde ou a secretaria estadual. O mais indicado é entrar, por conta própria, nos sites das fontes confiáveis citadas anteriormente.

Fonte: Folha de SPaulo.

Link: http://bit.ly/32yVazv

Pesquisa