Notícias

Nesta época, as grandes metrópoles notificam maior número de casos de caxumba. No inverno passa-se mais tempo em ambientes fechados, com pouca ventilação, o que facilita a transmissão da infecção. Segundo o médico infectologista Ralcyon Teixeira do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, os principais sintomas da caxumba são: febre, dor nas juntas, inflamação das glândulas parótidas, localizadas abaixo da mandíbula. Embora seja raro, a caxumba pode atingir outros órgãos, como  ovários e testículos (podendo causar esterilidade) e pâncreas.


O açúcar pode prejudicar o cérebro. Consumir altas quantias de frutose diariamente pode comprometer o aprendizado e a memória. É o que indica uma pesquisa publicada no periódico Journal of Physiology.

No estudo, ratos que ingeriram xarope de milho rico em frutose tiveram prejuízo na memória e queda no número de sinapses do cérebro. O xarope de milho costuma ser encontrado em produtos industrializados, como refrigerantes, condimentos, comida de bebê e lanches processados. "Nossas descobertas ilustram que o que você come afeta como você pensa", diz Fernando Gomez-Pinilla, professor de neurocirurgia e de biologia integrativa e fisiologia na Universidade da Califórnia. "Ingerir uma dieta rica em frutose por longos períodos altera a habilidade do seu cérebro de aprender e recordar informações", observa.

A compra compulsiva é um distúrbio psicológico que possui caraterísticas diferentes das observadas em portadores de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e do Transtorno Bipolar. É o que revela uma pesquisa da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Devido aos sintomas distintos apontados pelos compradores complusivos, o estudo da psicóloga Tatiana Zambrano Filomensky defende o desenvolvimento de novos tratamentos voltados especificamente aos portadores do distúrbio, ao invés da aplicação dos métodos utilizados nos pacientes de TOC e Transtorno Bipolar.

A partir de questionários aplicados em pacientes, a pesquisa verificou que a principal característica do comprar compulsivo é uma falha em resistir ao impulso de comprar, que pode gerar prejuízos pessoais, financeiros e familiares. “O paciente apresenta uma deficiência no planejamento de suas ações e impulso de aquisição excessiva”, descreve Tatiana. “Desta forma, o comprador compulsivo não pensa nas consequências dos seus atos a longo prazo, levando em conta apenas a satisfação do momento de comprar”.


Sociedade Brasileira de Infectologia alerta: o uso indiscriminado de medicamentos, sobretudo antibióticos, aumenta de forma considerável o risco de casos de superbactérias - micro-organismos resistentes à maior parte dos tratamentos disponíveis.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que 440 mil casos de tuberculose resistente são registrados no mundo todos os anos, além de cerca de 150 mil mortes decorrentes de infecções por superbactérias.

O uso indiscriminado de antibióticos configura, de certa forma, um problema cultural, já que o profissional de saúde se sente mais seguro ao receitar o medicamento. "Ele acha que está fazendo um bem para o paciente, mas vários fatores precisam ser levados em conta na hora de fazer um programa de prevenção e também de orientação para o uso de antibiótico", observa o infectologista Marcos Antonio Cyrillo, diretor da SBI.

O Ministério da Saúde quer aumentar o número de doadores regulares de sangue no país dos atuais 2% da população para 3%, patamar recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Para isso, a ideia é aproveitar as ferramentas das redes sociais para cadastrar potenciais doadores e direcionar essas pessoas aos hemocentros mais próximos. De acordo com o ministro Alexandre Padilha, o banco virtual criado pelo ministério no Facebook, em novembro de 2011, já conta com mais de 7 mil doadores voluntários e o objetivo é dobrar esse número, alcançando 15 mil até o fim do ano.

Pesquisa