Pergunte ao doutor

Nome: Valdira Marques
Idade: 33 anos
Cidade e Estado: Amelia Rodrigues / BA
Pergunta: Por que não consigo perder peso, se sou adepta de atividade física?

Valdira,
Você está no caminho certo. Procure se consultar com um(a) nutricionista para fazer uma dieta bem balanceada e com baixas calorias. Tenho certeza que irá se beneficiar muito. Continue assim.

Nome: Alexandre Marcal
Idade: 24 anos
Cidade e Estado: Antequera - Espanha
Pergunta: Como vai, Doutor? Faz 4 meses me diagnosticaram com condromalacia rotuliana, me fizeram uma infiltração, melhorou um pouco a dor, mas depois de duas semanas voltou a dor outra vez, me mandaram tomar glucosamina 1.500 mg sobre durante 6 meses, tenho uma vida ativa, jogo futebol 3 vezes por semana, agora estou tentando fortalecer a musculatura das pernas para tentar melhorar essa dor, estou pelo quarto mês tomando glucosamina um sobre ao dia, mas ainda não vi melhora alguma, tomei aines sem muito êxito, eu perguntei se podia seguir jogando futebol e ele disse que sim, e somente no joelho direito sempre está estalando e doendo. Vivo há 8 anos na Espanha e sigo o senhor pelo Hoje em Dia da Rede Record.
Um saludo e tudo de bom.

Alexandre,
Obrigado pela audiência e pela sua pergunta.
Condromalácia é uma alteração da cartilagem do joelho causada por desgaste e impacto. Os corredores e jogadores de futebol são os mais afetados pela doença. Infelizmente a condroitina e glucosamina não funcionam para este caso. A infiltração é temporária. Infelizmente o tratamento é a interrupção da corrida e fortalecimento muscular é fundamental. Continuar jogando só vai fazer você sofrer mais e aumentar o desgaste da cartilagem. Procure um ortopedista especializado em joelho. Ele irá te ajudar bastante a enfrentar o problema. Bom esporte para não perder sua condição física é a natação e o ciclismo. Boa sorte e recuperação aí na Espanha.

Nome: Cleria
Idade: 25 anos
Cidade e Estado: Porto Alegre - RS
Pergunta: Olá Doutor, por favor, me ajude. Eu tenho 25 anos e estou com colesterol no limite, a médica me disse que estou com colesterol equivalente a uma pessoa de 60 anos. Esse exame de sangue eu fiz através da firma onde meu esposo trabalha, porém, não conta com nutricionista, agora tenho que esperar pelo SUS,o que posso fazer para melhorar enquanto tento conseguir uma nutricionista, sendo que em novembro tenho que retornar e fazer novos exames, ajuda por favor.

Cleria,
Muitas vezes as gorduras elevadas no sangue são secundárias à sua hereditariedade. Ou seja, seus antepassados passaram a você alguns genes que determinam esta tendência à elevação do colesterol. Em se tratando de alimentos, tudo que vem dos animais podem aumentar nosso colesterol: carne vermelha, leite, manteiga, queijo e derivados. Procure comer mais peixe grelhado, vegetais, legumes, frutas, peito de perú, frango e não se esqueça de atividade física ok? Tome mais chá e se for consumir leite e derivados, faça com os desnatados. Boa sorte nos próximos exames. Leia em meu site a dieta para evitar a obesidade. Vai ajudá-la.


Nome: Eliane Cristina Orlando Gomes
Pegunta: Olá Dr. Eu assisti ao programa  Hoje em Dia da data de hoje e me identifiquei com alguns sintomas da síndrome do pânico, gostaria de esclarecer algumas dúvidas e se eu preciso procurar um psiquiatra. Obrigada.

Eliane,
Seria bom você conversar com algum profissional de saúde mental, psicólogo ou psiquiatra. Sempre  falo que é importante avaliar não só nossa saúde física, mas a mental também. Acho muito produtivo esta investigação e avaliação. Você vai gostar e sentir-se mais segura. Boa sorte.


Nome: Ana Maria da Fonseca Rodrigues
Mensagem: Eu acompanhei hoje o programa síndrome do pânico. Eu me sinto assim com medo de  sair na rua, não saio de casa sozinha, pelo motivo de há 10 anos e 15 dias sofri um segundo AVC. Como eu ão tenho firmeza nas pernas, tenho muito medo de cair. Eu vou no portão,  mas não consigo andar na rua tem aproximadamente uns seis anos que só saio de casa pra médico, porque também tive câncer e fiz uma histerectomia. Estou em tratamento neurológico, mas  foi em abril  deste ano que meu medo aumentou mais. Tem gente que acha que estou fazendo drama e tudo dependo de alguém pra sair comigo, não posso fazer nada, meu marido se aposentou por tempo de serviço em 2011 e desde então ele que sai comigo pra tudo. Ele praticamente é o que faz tudo, porque eu ainda não me aposentei. Será que fiquei assim por causa da ansiedade? Porque sempre trabalhei e ajudava nas despesas da casa  e agora tudo dependo dele que ganha um salário mínimo, me identifiquei com esse moço de hoje no programa. Me ajude, por favor. Abraços. ANA FONSECA

Ana,
No seu caso em particular vejo que há outras variáveis que podem juntas funcionar como gatilho para você  ter medo de fazer coisas que fazia antigamente. Só o fato de você ter tido um AVC, já é um dado importante. As vítimas desta doença com ou sem sequelas, sabem que é importante levar uma vida saudável e cercada de cuidados que antes não eram importantes. Outro dado importante é sua histerectomia ou retirada do útero. E finalmente a necessidade de estar sempre ao lado do marido para realizar tarefas, coisa que no passado não era necessário. Tudo isso junto pode afetar sua vida emocional e gerar insegurança para realizar as coisas e não a doença do pânico propriamente dito. Desta forma te aconselho a procurar ajuda com um profissional de saúde mental que pode ser psicólogo ou psiquiatra. Vai te fazer bem. Fique tranquila que sua melhora virá com o tempo. Abraço.

Pesquisa

Pergunte ao doutor

Utilize o formulário abaixo para enviar sua pergunta para o Dr. Antonio Sproesser

Devido ao grande volume de perguntas, não garantimos que todas serão respondidas, já que as faço pessoalmente.

Dr. Antônio Sproesser


captcha